Vereador comenta fim do contrato com empresa que controlava Área Azul em Ituporanga

Data: 01/12/2017

Vereador comenta fim do contrato com empresa que controlava Área Azul em Ituporanga

Leandro Heizen (PSB), durante o uso da palavra livre destacou que desde segunda-feira (27) não se cobra mais o estacionamento em Ituporanga

            O contrato com a empresa foi rompido segundo o vereador Leandro Heizen (PSB), porque a empresa Sermog, que fazia a gestão do estacionamento rotativo não estaria repassando os recursos para a administração municipal. “O executivo já tinha feito uma notificação para a empresa, o repasse dos recursos estava em contrato, e eles não estavam cumprindo. A empresa deu então os 30 dias para os funcionários e rompeu o contrato com a administração municipal”, destacou.

            Segundo o vereador, desde o início o trabalho prestado pela empresa não era de qualidade e ao longo do tempo demonstrou o total despreparo para gerir o estacionamento. “O período que funcionou foi importante mas o trabalho foi mal feito. A empresa veio realmente para faturar, para cobrar, cobrando a multa de 8 reais, fazendo o pessoal informar e falar a placa, tudo de forma burocrática”, explicou.

            Heinzen citou ainda o modelo criado na Área Azul em Rio do Sul, onde tudo funciona com as máquinas, a compra do crédito diferenciada, segundo ele ainda seria interessante se estudar o modelo e implantar em Ituporanga. “A forma de cobrança do crédito é feito através da máquina, os funcionários passam, colocam a placa na máquina e se cobra o crédito ou se emite a multa. Sugiro para que se possa regulamentar esse serviço que a APAE de Ituporanga, o Hospital Bom Jesus e o Abrigo Mão Amiga possam gerir o estacionamento. Se os comerciantes acharem ideal essa nova maneira de cuidar do trânsito e também das vagas no centro podemos repensar e trabalhar a Área Azul de forma diferente”, concluiu

            O vereador Almir Schaffer “Titi” (PMDB) se mostrou bastante preocupado com o rompimento do contrato e alegou que com a chegada do final do ano a situação de falta de vagas pode complicar e muito. “Fico preocupado com o rompimento do contrato, chegando ao final do ano vamos ver a falta de vagas e muitas reclamações de quem vier ao centro para fazer compras. Infelizmente veremos que os proprietários e funcionários dos comércios voltarão a deixar os veículos nessas vagas, isso vai dificultar muito. Temos que estudar uma nova maneira de cobrar o estacionamento, com a tolerância de 10 minutos que a muito tempo foi prometida.  Outra coisa que precisamos ver também é como foi feito esse rompimento do contrato se tinha multa por parte da empresa”, destacou.

            Jaime Sens (PSDB) concorda com o estudo para nova cobrança na Área Azul da cidade. “Acho válido o estudo para poder regulamentar a cobrança do estacionamento na cidade, porque o município cresceu muito e o volume de carros aumentou muito também. E sem a cobrança do estacionamento vai ser complicado”.

            O vereador Marcelo Machado (PP) explicou que a empresa foi notificada pela falta de repasse dos recursos e que são valores altos que a Prefeitura cobrará judicialmente. “Essa notificação para a empresa foi assinada pelo vereador Adriano Coelho (PP) quando assumiu como prefeito. Foi então rompido o contrato por inadimplência por parte da empresa. São valores altos que serão futuramente cobrados judicialmente. A administração municipal deverá fazer uma nova licitação, mas acredito que para esse ano não dê mais tempo. Esperamos que os comerciantes não estacionem nessas vagas porque todos acabam sendo prejudicados”, finalizou.

Câmara de Vereadores de Ituporanga

Assessoria de Comunicação

Erlon Carlos